Bem-vindo(a)!
Swipe to the left

Qual é o significado das tradições afinal?

Qual é o significado das tradições afinal?
Por Carlos Azevedo 6 de Dezembro de 2017 189 Visualização (ões) Sem comentários

Meias na chaminé


Coloque o braço no ar quem nunca colocou uma meia de Natal junto à lareira com a esperança de ser retribuído com um presente na manhã de Natal?


A tradição surgiu na Holanda, e rapidamente se espalhou pelo mundo fora. Reza a lenda que São Nicolau após ter conhecimento que três moças não podiam casar devido a sua situação monetária desfavorecida, resolveu, comovido com a situação , durante a noite, atirar moedas de ouro pela chaminé.
Hilariante mas essas moedas caíram dentro das meias que, foram colocadas a secar junto à lareira, por esse motivo, surgiu a tradição de colocar a meia ou o sapato junto à lareira no dia de Natal.


Azevinho

O azevinho é um arbusto de crescimento muito lento utilizado essencialmente neste época festiva como elemento decorativo, simboliza amor, paz, saúde e esperança.
A origem deste costume remonta a tempos antigos, época em que as civilizações pagãs utilizavam o azevinho principalmente como espanta espíritos, daí o seu simbolismo enquanto planta sagrada.
Agora que ficou a conhecer a origem e o significado do Azevinho, não se esqueça de o incluir na decoração Natalícia, sugerimos que o use em janelas e portas, ou até mesmo em arranjos florais.


Bolo-Rei

O Bolo-Rei é um bolo tradicional português que se come na altura do Natal e até ao dia de Reis. A forma redonda, desfalcada no centro faz lembrar uma coroa, condimentado no exterior com frutos secos e frutas cristalizadas, relativamente ao seu interior no tradicional Bolo-Rei, encontramos uma fava que, segundo a tradição, concede um desejo a quem calhar numa fatia.
A tradição do Bolo-Rei provém da altura dos romanos, sendo costume fazer-se um bolo semelhante, na altura das festas de Saturno, a fava dentro do bolo surgiu nessa altura, e quem descobrisse a fava era proclamado Rei da festa.

O que dizer da origem do bolo-rei? Motivos não faltam para saborear este tradicional doce de Natal, não bastava ser um doce bastante apreciado devido ao seu sabor, como ainda revela uma história surpreendete dos nossos antepassados.
Motivos não faltam para apreciar este doce tradicional do Natal.

Consoada

Na consoada de Natal manda a tradição portuguesa que se coma o bacalhau acompanhado com batatas, ovo cozidos, e legumes salteados, não existe maior tradição portuguesa do que comer bacalhau no dia 24 de Dezembro.

A tradição do bacalhau no Natal, surgiu na Idade Média, com o calendário cristão, onde as pessoas faziam jejum, na altura das principais festas católicas: o Natal e a Páscoa. Como não se podia comer carne nestas alturas, e o bacalhau era o peixe mais barato, começou por se comer bacalhau. .

Com o tempo, o jejum na altura do Natal foi desaparecendo, mas a tradição de comer bacalhau persiste até aos dias de hoje.

Quantos de vocês já reservaram o bacalhau para a vossa ceia de Natal? Antecipem-se, neste dia tão especial tudo tem que estar preparado na perfeição.

Árvore de Natal

A árvore de Natal é um símbolo de principal destaque nesta época, encontramos árvores de Natal em todo o lado: nos centros comerciais, nas ruas e, fundamentalmente, nas nossas casas. Enfeitar a árvore de Natal é um momento de partilha, de convívio, de imaginação, uma tradição transmitida de geração em geração.
Mas de onde vem esta tradição? Povos antigos tinham por hábito enfeitar árvores em datas comemorativas, como as Saturninas, festas pagãs em honra de Saturno Deus da agricultura e das colheitas. Para eles o pinheiro representava a vida e a esperança, talvez por ser uma árvore resistente que mantinha o verde e a beleza mesmo no Inverno.

Reúna a sua família e enfeite a sua árvore de Natal, mas não se esqueça, reza a tradição que o pequenino(a) aí de casa é quem coloca a estrela no cimo da árvore.

Presentes

Presentes, presentes e mais presentes, como as crianças adoram presentes, aliás quem não gosta de receber um presente? Curiosamente, são poucos os que sabem a origem e o motivo dos presentes no Natal.

Desde há cerca de dez mil anos que os povos agricultores trocavam presentes, normalmente excedentes alimentares no solstício de Inverno, como forma de celebrar o facto de o Inverno já estar a meio e em breve regressarem os dias bons. Era um costume pagão e os cristãos não conseguiram suprimi-lo. Em contrapartida, converteram-se ao conceito e a oferta de presentes passou a simbolizar a entrega de oferendas ao Menino Jesus pelos Reis Magos.

Explicada a origem dos presentes de Natal, está na hora de fazer a sua lista de compras, não se esqueça de aproveitar as promoções de Natal da Sofás Zone.

Missa do Galo


A Missa do Galo é celebrada à meia-noite, e assinala o nascimento de Jesus, na noite de 24 para 25 de Dezembro. Reza a lenda que à meia-noite do dia 24 um galo teria cantado, anunciando a vinda do Messias. Tradicionalmente, depois da missa, as famílias voltam para casa, colocam a imagem do Menino Jesus no Presépio e distribuem os presentes com os respectivos familiares.

Postais de Natal


Quem não se recorda dos célebres postais de Natal, aliás quem nunca enviou um postal Natal? Porém, está é uma tradição que tem vindo a sofrer com o impacto das novas tecnologias, no entanto ainda há quem não deixe de parte esta tradição e continue a enviar os seus postais de Natal.

A sua origem surge em meados do século XIX, na época de Natal, o inglês Sir Henry Cole costumava escrever a uma grande quantidade de pessoas a desejar-lhes Boas Festas. Na tentativa de criar um processo mais simplificado, criou um postal com uma imagem e uma mensagem de Natal. A imagem que utilizou foi tão polémica e tão falada, que o conceito acabou por se generalizar. Por cá a massificação do envio de postais de Natal aconteceu muito à conta da solidariedade para com a Unicef.

Pai Natal

“ PAI NATALLLLLLL! “ - Gritam as crianças ansiosas para que chegue o Pai Natal!

O Pai Natal, é a figura mais emblemática do Natal, quem não se recorda de ser criança e sentir o pulsar do coração quando na noite de Natal aproximava-se a madrugada, o desejo de ver o Pai Natal com os nossos presentes, e toda aquele magia inerente ao Natal estar tão próxima de se concretizar, é uma explosão de sentimentos, os nossos olhos irradiavam brilho , mais, quantos de nós não puxavam a barba ao Pai Natal para certificarmos-nos que era realmente o verdadeiro Pai Natal, é este espírito que um dia já sentimos e que agora sentimos mas numa outra forma, que queremos que esteja presente no Natal.

Fique a conhecer um pouco mais da história do místico Pai Natal.

Originalmente os Vikings vestiam alguém que representasse o Inverno e recebiam-no tão bem quanto possível para acalmar as forças da natureza. Mais tarde, confundiu-se o Pai Natal original com o São Nicolau, um santo bispo da cidade turva de Myra que era conhecido pelas suas generosas ofertas de presentes e pela protecção às crianças. Dessa mistura e mais tarde da publicidade da Coca-Cola, nasceu o Pai Natal actual.

Presépio


O presépio é das mais antigas tradições de celebração do Natal.
Normalmente é montado ao lado da árvore e dos presentes, recria o nascimento do menino jesus num estábulo. Em Portugal, o presépio tem uma tradição muito antiga e está enraizada nos costumes populares.
Geralmente, o presépio é montado 4 semanas antes da noite de Natal, sem a figura do Menino Jesus, que só é colocada na noite de Natal, depois da Missa do Galo.
Tradicionalmente, é perto do presépio que são colocados os presentes que são distribuídos depois terminar a Missa do Galo e de se colocar a imagem do Menino Jesus junto ao presépio.

As tradições de Natal

Faz parte do património cultural de cada país a preservação da sua identidade, dos seus valores e das suas tradições. Não podemos de forma alguma negligenciar os valores que estão inerentes ao Natal. Existe uma tendência crescente de desvalorizar algumas tradições de Natal, a ideia do Natal ser constituído pelo Pai Natal, por uma árvore enfeitada e presentes, muitos presentes, não simboliza de forma alguma a tradição nem o simbolismo desta época, respeitem toda história do Natal, e deixem-se envolver por todo o espirito da época Natalícia.

Estão assim apresentados os principais temas referentes ao Natal, pretendemos com esta noticia desmitificar as principais insígnias do Natal, valorizando a sua tradição e os seus costumes.







Colocado em: História